quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Pedro Bantim: um homem para ser lembrado


O mês de agosto assinala duas datas significativas para a conceituada família cratense Oliveira Bantim: o nascimento e o falecimento do seu patriarca Pedro Bantim Neto.
Bantim nasceu em 23 de agosto de 1924, filho de Pedro Bantim Filho e Ana Perpétua Bantim, cujas raízes são de Santana do Cariri, aprazível município da histórica e tradicional região localizada no extremo sul do Ceará. No entanto, Bantim se radicou em Crato ainda jovem e tornou esta sua cidade de coração. Aqui foi empreendedor de seus negócios por mais de 50 anos, constituiu uma sólida base familiar e deixou uma indelével marca na memória identitária da cidade. Comerciante do ramo de alimentação, Bantim foi proprietário de uma afamada lanchonete localizada no centro da cidade, fato que o tornou conhecido e benquisto da população. A Lanchonete Bantim, além de tradicional ponto gastronômico, foi palco de acontecimentos pitorescos que hoje fazem parte do ‘folclore’ local. Bantim foi o principal protagonista desses ‘causos’, todos com saborosa verve de humor e espiritualidade, marca que lhe era inconfundível.
Bantim foi casado, em longas e profícuas núpcias, com Djaci Oliveira Bantim, filha de Maria de Lourdes Oliveira e José de Oliveira e Sousa, sócio proprietário do Cine Odeon, em Barbalha, e neta do fotógrafo e primeiro exibidor de filmes do Cariri, Luiz Gonzaga de Oliveira, patrono do Memorial da Imagem e do Som do Cariri, que funciona em Crato, fundado e mantido por um dos filhos do casal Pedro e Djaci, o reconhecido cineasta e produtor cultural Jackson Oliveira Bantim, mais conhecido por Bola. Como se observa pelo ‘metier’ dos avós maternos, Jackson Bantim tem o amor à fotografia e ao cinema como uma herança atávica.


Pedro Bantim e Djaci com os filhos

Além do já citado Jackson Bantim, Pedro e Djaci tiveram mais seis filhos - Jocildo (advogado), Janildo (comerciante), Janedson (funcionário público), Celida Maria (in memoriam), Jane Eyre (psicóloga) e Jane Mary (formada em administração de empresa) -, dezesseis netos - Adriana, Erylana, Ramon, Rudolfo, Romél, Janedson Filho, Renan, Rener, Roberta, Jamylla, Andrezza, Thiago, Janaina (in memoriam), Jackeline, Larissa e Erinaldo Júnior -, quatro bisnetos - Igor Leoni, Vitória, Jéssica e Jackson Manuel - e uma tetraneta, Maria Sofia.
Essas sucessivas gerações dos Oliveira Bantim são provas e garantia, pela sua firme robustez, que este importante e conceituado clã caririense estar perpetuado e, o que é mais interessante, devidamente plasmado no exemplo de honradez legado pelo ancestral casal. 
Bantim  faleceu em 28 de agosto de 1999, mas, pela força de sua rica existência, sua memória permanece viva, sendo agora evocada para servir de testemunho de um tempo onde a probidade não era apenas uma qualidade reivindicada em discursos e eventos que clamam pela moralidade na vida pública.

Texto de Carlos Rafael Dias
Fotos: arquivo de Jackson Bantim


sexta-feira, 21 de julho de 2017

Memorial da Imagem e do Som do Cariri Luiz Gonzaga de Oliveira registra: CDL e Prefeitura homenagearam cratenses que se destacam na cultura local

Os postes da Avenida Maildes de Siqueira, próximos ao Parque de Exposições Pedro Felício Cavalcante, em Crato, durante o período da Expocrato, foram alvo das atenções da grande multidão que participou do maior evento festivo da região do Cariri. Lá, o Clube dos Diretores Lojista do Crato, associado a Prefeitura local, prestou um tributo a diversos cratenses que se destacam em atividades relacionadas às arte, cultura e educação, através da exposição das fotos dos homenageados. A iniciativa foi bem recebida por toda a opinião pública. Da nossa parte, enaltecemos este ato de reconhecimento às ilustres personagens cratenses. Vejam algumas fotos:







quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Desenho de Jackson Bantim

Desenho de Audifax Rios datado no dia 17 de Abril de 2015, dia do aniversário do artista plástico que fez este desenho do Cineasta Jackson Bantim.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012



MEU OLHO DE VIDRO - Livro de Jackson BantimJackson Bantim, popularmente conhecido por (Bola-Bantim) e, por seus trabalhos na área do Cinema e imagens de uma forma geral, nos brinda com seu Livro de Fotografias, bem definido na própria capa, como:“Um olhar apaixonado sobre Paisagens, Paragens e Personagens do Mundo que vi!”O livro traz no Prefácio, uma apresentação de Luis Carlos Salatiel.Nós do Zoom só temos a dar os Parabéns a este Cratense, um declarado apaixonado pelas artes de sua terra. Publicamos algumas, mas deixaremos vocês na curiosidade das outras, procurando o Bola para fazerem suas aquisições de: MEU OLHO DE VIDRO! Do Cariri para o Mundo!

Fotos de: Jackson Bantim (do seu Livro)Postado por

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Uma noite de Gala no Crato - Abertura da I Mostra Crato de Cinema e Vídeo

O Dia começou cedo, com a limpeza e preparação das máquinas, que seriam usadas para a decoração do ambiente. Na foto, o cineasta Jackson Bantim ( O Bola ).

HOJE TEM MAIS! - COMPAREÇAM AO TEATRO SALVIANO SARAIVA !

Foi aberta na noite do dia 13 com muito brilhantismo, no Teatro Municipal Salviano Saraiva, a I Mostra Crato de Cinema e Vídeo, evento idealizado pelo Jornalista Huberto Cabral, e realizado pelo Governo do Crato com o apoio da URCA e Cineastas do Cariri. O evento, que vai de 13 a 18 deste mês, contou na sua abertura, com a presença de cineastas cratenses renomados, como Jefferson Albuquerque, e Jackson Bantim, dentre outros, que vieram ao Crato especialmente para o evento.

A secretária de Cultura, Esporte e Juventude do município, Danielle Esmeraldo abriu a noite com um discurso ressaltando a importância do evento para a revitalização do cinema na cidade. Em seguida, o prefeito Samuel Araripe, lembrou das salas de cinema que já existiram no Crato, e ao final disse que é seu desejo que esse evento sirva para selar a volta do cinema, com a parceria do poder público. Em seguida foi feita uma leitura dramática sobre “Os Primórdios do Cinema no Crato”, por Luiz Carlos Salatiel e Kelvya Maia , e a entrega do Selo Cultural do Araripe – Troféu Vittorio di Maio ao cineasta Jackson Bantim, que é bisneto de Gonzaguinha, um dos precursores do cinema no Cariri; Logo após, houve a apresentaçao do filme D. Ciça do Barro Cru e a Avant-Premiére do tele-conto “O Cinematografo Herege”, de Jefferson de Albuquerque Jr, adaptado pelo médico e escritor José Flávio Vieira, que será apresentado pela TVC. O evento contou ainda com uma galeria de fotos de cartazes da época áurea do cinema, fotos de making off, e um coquetel aos presentes.




Governo do Crato promove a I MOSTRA CRATO DE CINEMA E VÍDEO, de 13 a 18 de Junho - Por: Dihelson Mendonça



http://4.bp.blogspot.com/-bqbuO-3H-nQ/TfJCZZaaNzI/AAAAAAAAXsM/YgrzaoYyGHE/s1600/Mostra_Crato_de_Cinema_e_Video450.jpg

A
contece em Crato-CE, no Teatro Municipal Salviano Saraiva, de 13 a 18 de junho, a primeira Mostra Crato de Cinema e Vídeo, em comemoração aos 100 anos da inauguração do primeiro cinema do interior do Ceará, o "Cinema Paraíso", acontecido em 3 de maio de 1911 pelo italiano Vittorio di Maio. O evento é promovido pelo Governo do Crato, por meio da Secretaria de Cultura do Município, em parceria com a Universidade Regional do Cariri ( URCA ), Cineastas Cratenses, e reúne mais de 30 trabalhos, dentre curtas e longas-metragens produzidos exclusivamente por cineastas do Crato ou que possuem ligações com a cidade.

CRATO-CE, uma cidade marcada pelo Pioneirismo

A cidade do Crato, localizada no Sul do Ceará, ao longo da sua história, tem sido palco de inúmeros eventos pioneiros que tiveram ressonância posterior no Ceará e no Brasil. Exemplo disso foi quando a 3 de maio de 1817, José Martiniano Pereira de Alencar ( pai do escritor José de Alencar ), e filho de D. Bárbara de Alencar, proclamou do púlpito da Matriz do Crato a independência do Brasil, 5 anos antes do restante do país e já com regime republicano, estando 72 anos à frente do Macheral Deodoro da Fonseca.

Foi em Crato também, que em 1938 foi instalada a primeira usina hidroelétrica em solo Cearense, ao sopé da Chapada do Araripe; A primeira Diocese do interior; A primeira estação de rádio, a Rádio Araripe do Crato, inaugurada em 28 agosto de 1951; O Hospital São Francisco de Assis, em 23 de dez 1936; A casa de caridade em 1868; A primeira agência do Banco do Brasil do interior, em 1 set de 1936; O primeira unidade do SESI; O primeiro SESC; O primeiro time de futebol do interior do estado, o Crato Futebol Clube, em 1919; O Ideal Clube em 1916, que deu origem posteriormente ao famoso Crato Tênis Clube, ( que é de 1932 ); Os clubes de serra: Serrano, em 1961, Itaytera, em 1965 e Clube Recreativo Grangeiro em 1966.

Crato é pioneiro ainda com a primeira unidade da AABB do interior do estado, em inaugurada em 1955; Nas faculdades de filosofia, de 1960; Ciencias econômicas, em 1961; Faculdade de Direito, em 1973. Como se isso não bastasse, rodou pelas ruas do Crato ( calçadas especialmente para isso ), o primeiro automóvel do interior, adquirido pelo empresário Cratense Siqueira Campos, em 29 de set 1919; O primeiro Aeroporto do interior, em 1933 ( Campo de aviação ); Aeroporto N. S de Fátima, em 1953; Sociedade de Cultura Artística do Crato ( SCAC ), uma das maiores entidades culturais e artísticas do Ceará, em 1950, e a própria Universidade Regional do Cariri - URCA em 1986, são apenas alguns exemplos que comprovam o pioneirismo da cidade que é considerada "o coração pulsante do Cariri" e a prova inequívoca de que foi na cidade de Frei Carlos Maria de Ferrara, onde o Cariri realmente começou.

O pioneirismo do Crato se estende inclusive pela sétima arte, quando em 3 de junho de 1911 o italiano Vittorio di Maio inaugurava o primeiro cinema do interior cearense. Mas mesmo antes disso, já circulavam pelas suas ruas, alguns exibidores ambulantes, utilizando-se de um aparelho conhecido como Bioscópio e da Lanterna Mágica, que funcionavam a partir de discos e placas de vidro com gravações de imagens. Um desses exibidores foi o famoso Luiz Gonzaga de Oliveira ( Gonzaguinha ), bisavô do cineasta Cratense contemporâneo, Jackson de Oliveira Bantim.

Segundo a neta de Gonzaguinha, Alda de Oliveira Fontenele, hoje com 94 anos de idade, no inicio eram projetadas imagens coloridas que chegavam a assombrar a platéia. Com o tempo, vieram os filmes mudos com atores de gestos exagerados e muito maquiados. Ela lembra ainda que a trilha sonora era feita ao vivo por um pianista ou uma bandinha de músicos que acompanhavam as tensões das cenas. "Dona Vevé", como é conhecida, disse que os filmes se repetiam por varias semanas seguidas, isto porque eles vinham da capital em lombo de burros trazidos por tropeiros que comercializavam na cidade do Crato.

Mas somente no dia 03 de Junho de 1911, um Italiano de Nápoles chamado Vittorio di Maio, que visitava o Brasil e já havia inaugurado em 1897 um cinema em Petrópolis e outro em Fortaleza, inauguraria também a primeira sala de projeção do interior do Ceará, na cidade do Crato, chamada Cinema Paraíso, cujo primeiro filme exibido foi "Borboletas Douradas", e como o cinema era mudo, uma banda de música participava das sessões cinematográficas, animando o ambiente seguindo fielmente as cenas do filme. O anúncio do cartaz desses primeiros "sucessos de bilheteria" era feito da forma que anunciavam os espetáculos circenses da época: Um palhaço, e a meninada pelas ruas da cidade carregando o cartaz do dia. A criançada era marcada com tinta no pulso, valendo-lhes o ingresso gratúito para as sessões. O auditório era dividido com uma grade ( alambrado ), para diferenciar o tipo de ingresso. Desta grade para mais atrás, o ingresso era mais caro, porque neste tipo de cinema, quanto mais distante da tela, melhor era a visão para os espectadores. E para mais próximo da tela, a entrada era mais barata. Nos intervalos, enquanto as máquinas esfriavam, e eram trocados os rolos de fitas, uma banda de música tocava para os espectadores, bem como ao lado do prédio, havia também uma lanchonete.

Para comemorar os 100 anos desta data histórica, o radialista e memorialista cratense Huberto Cabral ( Foto ), elaborou um conjunto de eventos, que, promovidos pela administração municipal Samuel Araripe, através da Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude ( Danielle Esmeraldo ), com apoio de entidades como a Universidade Regional do Cariri, Instituto Cultural do Cariri, cineastas e entusiastas do cinema, resultaram na Primeira Mostra Crato de Cinema e Vídeo, a ser realizada no Teatro Municipal Salviano Saraiva, de 13 a 18 de junho, onde serão apresentados mais de 30 filmes de cineastas cratenses ou ligados ao Crato, entre curtas e longas-metragens, além de uma pequena exposição com um histórico do cinema no Crato no Hall do teatro, onde já existem duas máquinas projetoras da época de um dos melhores cinemas da cidade, o Cine Moderno.

Na primeira noite, será feita uma leitura dramática “Os Primórdios do Cinema no Crato”, entrega do Selo Cultural do Araripe – Troféu Vittorio di Maio; Avant-Premiére do tele-conto O Cinematografo Herege, de Jefferson de Albuquerque Jr e um coquetel aos presentes. Nos dias seguintes, trabalhos de cineastas renomados como “As Sete Almas Santas Vaqueiras” de Jackson Bantim, “Corisco e Dadá” de Rosemberg Cariry; “Sargento Getúlio” de Hermano Penna, estarão lado a lado com o cinema produzido pela nova geração, como “Caldeirão do Beato Zé Lourenço” de Catulo Teles e Franciolli Luciano; “Também sou teu Povo” de Franklin Lacerda e Orlando Pereira, e “Cerca” do cineasta Glauco Vieira, além de vários outros.

Segundo a secretária de Cultura do Crato, Danielle Esmeraldo, "a Primeira Mostra Crato de Cinema e Vídeo se configura como o primeiro passo para que num esforço contínuo, se possa revitalizar o cinema Cratense, com a importante colaboração de muitos nomes que fizeram e fazem a história do cinema no Crato".

PROGRAMAÇÃO OFICIAL:

SEG 13

19h
Abertura Oficial
- Leitura Dramática “Os Primórdios do Cinema no Crato” - com Luiz Carlos Salatiel e Kelvya Maia”
- Homenageados com o Selo Cultural do Araripe – Troféu Vittorio di Mayo;
AVANT PREMIÈRE do tele-conto “O Cinematografo Herege” 30'- de Jefferson de Albuquerque Jr, numa livre adaptação do conto homônimo de José Flavio Vieira;
- Coquetel

TER 14

19h
Exibição do curta: “As Sete Almas Santas Vaqueiras” 30'- de Jackson Bantim
Exibição do Longa: “Ave Poesia” 82'- de Rosemberg Cariry”

QUA 15

9h
Exibição do Curta: “Dona Cíça do Barro Cru” 12' – de Jefferson de Albuquerque Jr.;
Exibição do Curta: “A ordem dos Penitentes” 25' - de Petrus Cariry;
Exibição do Curta: “Também sou teu Povo” 15' - de Franklin Lacerda e Orlando Pereira;
Exibição do Curta: “Água pra que te quero?” 16'- de Nívea Uchoa;

14h
Exibição do Curta: “Superação” 15' - de Franciolli Luciano e alunos da Escola Estadual Moisés Bento de Jatí;
Exibição do Curta: “Drama” 20' - de Franklin Lacerda, Ana Rosa Borges (Roteiro);
Exibição do Curta: “DZU´NHURAE - O Filho das Águas” 28' - de Pachelly Jamacaru;
Exibição do Média: “Crato” 50' - de Virgínia Soares - Produção IMAGO (URCA);

19h
Exibição do Curta: “O Auto de Leidiana” 26' - de Rosemberg Cariry;
Exibição do Longa: “Fronteira das Almas” 90' - de Hermano Penna;

QUI 16

9h
Curtas da ONG VERDE VIDA – “Mestres da Cultura” de Genivan Brasil e Paulo Fuísca. “Box de Vídeos” - Alunos do Verde Vida
Exibição do Média: “Assombrações do Cariri” 20' - Documentário de Jackson Bantim;

14h
Exibição do Curta: “Matando a Fome” 05' - de Franciolli Luciano;
Exibição do Curta: “Músicos Camponses” 12' - de Jefferson de Albuquerque Jr.;
Exibição do Curta: “Chapada do Araripe - Como foi, como será? (parte III)” 30' de Jefferson de Albuquerque Jr.;

15h10min
Exibição de Curta: “Seu Mundô – O Guardião da Floresta” 16' – de Laerto Xenofonte;
- Roda de Conversa: “Estórias de Cinema - Colóquio com cineastas, produtores, atores e cinéfilos. Reativação do Cine-clube Crato”;

19h
Exibição do Média: “Formação Romualdo, o Milagre Paleontológico”22' - Documentário de Jackson Bantim e Álamo Feitosa;
Exibição do Longa: “Corisco e Dadá” 90' - de Rosemberg Cariry;

SEX 17

9h
Exibição de Curta: “Caldeirão do Beato Zé Lourenço” 15' – de Catulo Teles e Franciolli Luciano;
Exibição de Curta: “Cerca” 15' – de Glauco Vieira;
Exibição de Média: “A Enchente do Crato” 60' - de Joaquim dos Bombons;

14h
Exibição de Média: “Lua Cambará” 60' – de Ronaldo Correia de Brito;
Exibição de Curta: “Cabaré-Memória de Uma Vida” 15' - Alexandre Lucas / Coletivo Camaradas;
Exibição de Curta: “Catadores de Pequi” 12' - de Zuiglio Brito e LaislaYanael;

19h
Exibição do Curta: “Dez anos do Chá de Flor” 15' - de Cristina Diogo e Maria Dias/Juriti Produções;
Exibição de Longa: “O Grão” 90' - de Petrus Cariri;

SÁB 18

17h
Exibição de Longa: “Sargento Getúlio” 90' - de Hermano Penna;

19h
Exibição de Longa: “Padre Cícero” 90' – de Helder Martins;

20h30min
- Encerramento

Maiores informações:

Secretaria da Cultura, Esporte e Juventude
www.culturacrato.blogspot.com
Email: culturacrato@gmail.com
Rua Teopisto Abath s/n
Telefone: +55 (88) 3523-2365

Por: Dihelson Mendonça

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

O Milagre Paleontológico, no cinema!

O Instituto Nacional de Arqueologia, Paleontologia e Ambiente do Semi-Árido (INAPAS) e a Universidade Regional do Cariri (URCA) lançou no último dia 15 de janeiro,às 19:30 hs, o filme do documentário " Formação Romualdo - Um Milagre Paleontológicos", do cineasta Jackson Bantim e do Paleontólogo Dr. Álamo Feitosa Saraiva. A estréia aconteceu no Teatro Municipal Salviano Arraes Saraiva, em Crato.

Os fósseis da Bacia do Araripe, de forma didática, em linguagem acessível, agora chegam ao público com este documentário, que ressalta a raridade dos fósseis tridimensionais existentes na Bacia do Araripe.

A coordenação científica, pesquisa e roteiro são do Professor Doutor em Paleontologia da Universidade Regional do Cariri, Álamo Feitosa, atualmente à frente do Museu de Paleontologia de Santana do Cariri.

Esse é o primeiro documentário produzido na região sobre os fósseis da Bacia do Araripe, portanto, um documentário inédito de um tesouro no meio de uma das áreas mais ricas do Período Cretáceo da Terra. Excelente oportunidade de trazer ao público numa linguagem mais fidedigna da realidade das pesquisas já desenvolvidas por estudiosos do Cariri, como também abordar questões relacionadas ao tráfico e a importância das peças para a paleontologia mundial.

"A linguagem do cinema - audiovisual - foi a mais acessível no sentido de captar a ciência para a comunidade em geral, principalmente os estudantes." (Professor Álamo Feitosa)

A direção coube ao experimentado cineasta Jackson Bantim, caririense do Crato que, depois de mais de 30 anos produzindo filmes, inclusive na área de ficção, inaugura mais um momento de sua carreira com a realização desse documentário. Ele faz parte do Grupo de Pesquisa em Cultura Visual, Espaço, Memória e Ensino (IMAGO) da Universidade Regional do Cariri, que está produzindo o filme.

Cineasta Jackson Bantim
O cineasta destaca a importância de aproveitar o documentário como elemento de registro da diversidade fossilífera do Cariri. Foram mais de 15 horas de filmagens, 90% delas nas minas de calcário de Santana do Cariri, outras feitas no Museu de Paleontologia e, em Pernambuco, no estuário em Ponta da Pedra de Recife.

Dr. Plácido Cidade Nuvens, Reitor da URCA, afirma que o documentário "reveste-se de importância transcendental, pois apresenta ao público noções básicas de grande valor científico transmitidas em linguagem precisa e conceitualmente correta. (...) Jackson Bantim já tem um conjunto de produção cinematográfica que o classifica entre os expoentes da sétima arte, não só no Cariri mas no Nordeste com um todo."
fotos: Janildo Bantim

domingo, 29 de agosto de 2010

ULTIMA GRAVAÇÃO !

Diretor: Jackson Bantim e o Rotérista e Pesquisador: Álamo Feitosa.A cena final do documentário, FORMAÇÃO ROMUALDO UM MILAGRE PALEONTOLÓGICO, no Park dos Piterosauros em Santana do Cariri. As 15h do dia 18 de Agosto de 2010.

sábado, 28 de agosto de 2010

O SERTÃO JÁ FOI MAR.


Iguais a esta concha da foto (still do documentário Formação Romualdo - O Milagre Paleontológico, de Jackson Oliveira Bantim com roteiro de Dr. Álamo Feitosa) foram encontrados na região da Bacia do Araripe vestígios fossilizados da mesma concha de equinoderma, seres exclusivamente marinhos, ´nos dando a certeza de que a região do Araripe já esteve coberta por um mar cujas águas estavam sobre o continente.

FOTO: J.Oliveira Bantim

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

E S T U Á R I O - R E C I F E - P E R N A M B U C O

Equipe do Documentário, FORMAÇÃO ROMUALDO UM MILAGRE PALEONTOLÓGICO. Diretor: Jackson Oliveira Bantim e Cordenação/Roteiro/Pesquisa: Professor Dr.Álamo Feitosa, da Universidade Regional do Cariri - URCA. No dia de Gravação,
no Estuário de Ponta de Pedra à 80 Km da Cidade do Recife - Pe.